quinta-feira, 28 de Agosto de 2014

Sorteio da fase-de-grupos da Liga dos Campeões


Após um Play-off com alguns contornos épicos, desde logo a começar pela forma como a equipa búlgara do Ludogorets se qualificou (o guarda-redes da equipa búlgara foi expulso, a equipa foi a penaltis e foi um central a garantir a qualificação), passando pela qualificação duma equipa sueca após catorze anos de ausência e ainda a eliminação de equipas como Besiktas e Napoli, realizou-se mais um sorteio da Liga dos Campeões, na qual irão participar os três grandes portugueses (há sete anos que isso não acontecia). 

(clique na imagem)

Grupo A - Atlético de Madrid e Juventus são os favoritos, perspetivando-se dois duelos interessantes entre ambas as equipas. O Olympiacos irá demonstrar que não foi mero acaso a sua qualificação a época passada para os oitavos-de-final e irá dificultar a tarefa a ambos, principalmente nos jogos em casa. 

Grupo B - Real Madrid e Liverpool (que estava no pote três e teve alguma sorte com a equipa do 2º pote) são os favoritos e, em teoria, serão dois duelos interessantes entre dois dos clássicos do futebol europeu (Real leva dez Champions e Liverpool cinco), mas o Basileia, nos últimos anos, tem feito boa figura nas competições europeias e promete não fazer a vida fácil a ambos.

Grupo C -  O Benfica, em teoria, é quem tem o grupo mais complicado dos três grandes, pois o grupo pauta pelo equilíbrio e qualquer uma pode passar. Havia equipas mais difíceis no 2º pote que o Zenit, mas os russos serão complicados devido à viagem longa que os encarnados terão de fazer, mas os falhanços contínuos da equipa russa na Liga dos Campeões podem pesar. Já o Leverkusen pode almejar chegar mais longe que os grupos, devido ao bom plantel e ao treinador que tem, sendo que os jogos na Alemanha irão ser complicados. O Mónaco, pese o mau começo de época, irá complicar o máximo que conseguir, sendo que a inexperiência europeia da equipa (não participavam há mais de cinco anos nas competições europeias)  pode vir ao de cima. 

Grupo D - Arsenal e Borussia Dortmund são os principais favoritos (muita curiosidade para ver os 2 jogos entre si), mas o Galatasaray não facilitará, principalmente em casa. Mesmo a época passada eliminaram a Juventus, rumando à Liga Europa, e serão difíceis de ultrapassar.

Grupo E - O grupo da morte este ano fica a cargo de Bayern de Munique (campeão alemão), Manchester City (campeão inglês), CSKA Moscovo (campeão russo) e AS Roma (vice-campeão italiano). A título de curiosidade, alemães, ingleses e russos já tinham calhado na fase-de-grupos da edição passada, possivelmente usufruindo de algum conhecimento de cada equipa. Já a Roma não quer fazer má figura neste seu regresso e irá dificultar a vida ao máximo a Bayern e City.

Grupo F - Barcelona e Paris Saint-Germain (que se defrontaram nos quartos-de-final há dois anos) irão lutar pelo 1º lugar do grupo não devendo ter muitas dificuldades em se qualificarem, enquanto Ajax (que já o ano passado tinha calhado no mesmo grupo do Barça) e APOEL irão lutar pelo 3º lugar e respetiva ida à Liga Europa.

Grupo G - O Sporting, após cinco anos da pesada eliminatória contra o Bayern de Munique que resultou na última vez em que foi à competição, volta à Liga dos Campeões e defronta Chelsea, Schalke 04 e Maribor. Os ingleses devem passar com alguma facilidade em primeiro lugar, sendo que o Schalke também não é tão acessível como se apregoa, muito menos em terreno alemão (sem esquecer que o histórico entre Sporting e equipas alemãs não é propriamente feliz). 

Grupo H - O FC Porto, em teoria, é quem tem o grupo mais acessível dos três grandes, pese as viagens longas que terá de fazer. As condições para passar em primeiro lugar estão reunidas, mas o Athletic Bilbao irá dificultar a vida aos dragões. Enquanto ao Shakhtar, é uma incógnita, devido à situação que se passa na Ucrânia que move com o estado de espírito dos jogadores, para não falar que não joga em sua casa, enquanto que o BATE Borisov não conseguirá criar danos aos azuis e brancos.

terça-feira, 26 de Agosto de 2014

3 grandes vencem, mas não convencem

Paços de Ferreira 0-1 FC Porto (Jackson Martínez 40’) – Jackson Martínez garantiu a vitória dos azuis e brancos pela margem mínima ainda perto do intervalo, num encontro em que o FC Porto dominou na primeira parte, mas na segunda a equipa da casa apareceu mais atrevida e podia mesmo ter empatado o encontro, o que não veio a acontecer. Enquanto aos destaques, Jackson voltou a marcar (já leva 2 golos em 2 jogos), Quintero entrou bem (após substituir Tello que saiu lesionado) e ainda assistiu o colombiano, Adrián (a continuar assim percebe-se os motivos de não jogar com frequência), Ricardo (agradável surpresa, entrando logo de início no lugar de Danilo), Cícero (muito trabalho à defensiva azul e branca), Seri (grande intensidade) e Sérgio Oliveira (bom jogo do médio português).

Sporting 1-0 Arouca (Mané 93’) – Marco Silva estreou-se a vencer em Alvalade, mas a vitória não foi tão fácil, prova disso só ter havido um golo perto do fim do jogo. O resultado é justíssimo, mas Goicoechea esteve inspirado e foi um duro osso de roer para a equipa verde e branca. O Arouca também teve mérito em ocupar bem os espaços e posicionar-se de forma a anular o Sporting, conseguiu criar perigo, mas não foi o suficiente para evitar a derrota. Enquanto aos destaques, Adrien (grande jogo do médio português, a aparecer em todo o lado), Nani (não demonstrou tudo o que sabe e ainda falhou uma grande penalidade), Mané (entrou bem no jogo), Montero (bom jogo posicional e de movimentação, mas o colombiano não encontra o caminho da baliza desde Dezembro de 2013), Nildo (tentou levar a equipa para a frente juntamente com Artur) e Goicoechea (defendeu praticamente tudo, só não evitando o golo da derrota).

Boavista 0-1 Benfica (Eliseu 43') – O Benfica foi o primeiro grande português a deslocar-se ao sintético do Bessa e saiu de lá com uma vitória por margem mínima. Uma partida que se destacou pela maior dificuldade do Benfica do que se estava à espera, com os encarnados a terem ajuda do guarda-redes no momento do golo (pese o bom remate de Eliseu). A equipa axadrezada complicou a vida aos atuais campeões, pressionando o portador da bola e o meio-campo encarnado, aproveitando a ausência de Enzo. Enquanto aos destaques, Eliseu decidiu o encontro com um bom remate, Gaitán esteve aquém do que pode fazer (sempre muito tapado), Jara e Lima pouco ou nada fizeram, André Almeida entrou bem e cumpriu, Talisca cometeu muitos erros que, mais tarde, podem custar caro, Bobô deu luta e apresentou raça em cada disputa de bola, Lucas Rocha fez um bom jogo na defesa (cortando muitos ataques da equipa contrária) e Beckeles cumpriu na direita.

Na próxima jornada, há o primeiro grande jogo deste campeonato, com o Benfica a receber o Sporting. Ambos prosseguem a sua evolução e, em teoria, será um jogo interessante para ver como se comportam ambas as equipas num teste mais a sério. Já o FC Porto, após saber se se qualifica para a fase-de-grupos da Liga dos Campeões, recebe o recém promovido Moreirense, que promete dar luta à equipa azul e branca.

terça-feira, 19 de Agosto de 2014

E rola a bola no campeonato português!

FC Porto 2-0 Marítimo (Rúben Neves 12’ e Jackson 93’) – Os dragões foram os primeiros a abrir as hostes de mais uma edição da liga portuguesa e começaram da melhor forma com uma vitória por 2-0. Embora não tenha sido um jogo disputado entre ambas as equipas, a vitória acaba por ser justa, embora o Marítimo ainda tenha rematado à baliza, mas sem muito perigo, na 1.ª parte. Já se nota o dedo de Lopetegui na equipa com a circulação de bola e a sua respetiva posse, alguma pressão, mas as ocasiões de golo continuam a ser poucas. Destaques para Rúben Neves (fez história ao ser o mais jovem de sempre a marcar pelo FC Porto na Liga e ainda realizou uma exibição competente), Brahimi (a demonstrar toda a sua qualidade), Tello (boa jogada individual que culminou no 2-0) e a defensiva portista (ainda precisa de muito trabalho, pois alguns erros na 1.ª parte poderiam ter resultado em golo do Marítimo).